Sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar e editar seu próprio texto. É fácil.

© 2016 by CRISTAL DA TERRA.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

O Mineral:

 

O quartzo é um mineral formado pelo crescimento ordenado de um cristal a partir de uma semente primordial que atrai e agrega moléculas constituídas por um átomo de silício e dois de oxigênio, gerando um arranjo espacial único que reflete padrões específicos de forças infinitesimais.

 

Poucas substâncias podem riscar a superfície do quartzo que possui dureza superior à do vidro ou do aço. Sua grande inércia química resiste à maioria dos ácidos.

 

Um teste sensorial interessante que auxilia no reconhecimento do cristal de quartzo verdadeiro é a sensação gelada ao toque da pele em contraposição a uma sensação tépida dos materiais artificiais como vidros e resinas.

 

Formação Geológica do Quartzo:

 

Os cristais de quartzo se formam a centenas ou milhares de metros de profundidade na crosta terrestre. O processo de formação ocorre a partir de soluções aquosas quentes com alta concentração de sílica que se infiltram em fraturas e cavidades da crosta, partindo geralmente de magmas profundos. Nestes ambientes o cristal inicia seu lento crescimento sobre sementes moleculares microscópicas que atraem, ordenada e progressivamente, novas moléculas para posições definidas na rede cristalina em formação.

 

Grande parte do ouro encontrado nas rochas ocorre em veios de quartzo, indicando uma afinidade natural entre os dois minerais.

 

Os cristais utilizados nas jóias Cristal da Terra se formaram há mais de cem milhões de anos.

 

Passado e Presente:

 

A relação dos nossos ancestrais com o quartzo remonta a dois milhões de anos segundo datações arqueológicas de ferramentas de pedra lascada encontradas na África. A dureza e tenacidade do mineral associadas a sua capacidade de gerar arestas cortantes por percussão certamente foram determinantes para que ocupasse um lugar estratégico nas sociedades primitivas. Entretanto, nossos ancestrais não ficaram indiferentes às características mágicas ou estéticas do quartzo atestadas por peças líticas encontradas em todos os continentes que são verdadeiras obras primas da lapidação lascada.

 

A humanidade deixou a cultura da pedra lascada há cerca de 3.000 anos, ou seja, durante 99,9% do período da evolução humanóide nossa mente foi treinada para trabalhar a pedra e compreender seus segredos.

 

Esta parceria do quartzo com o homem não se encerrou ali. O quartzo era a tecnologia de ponta durante a idade da pedra, ainda hoje, assim permanece em nossa cultura. O silício dos chips de memória e dos processadores eletrônicos é obtido a partir do quartzo, originando computadores, WEB e celulares, enfim, todo o mundo digital e virtual. Com o silício também se fazem painéis solares fotovoltaicos para geração de energia elétrica a partir da luz do sol. O silicone utilizado em implantes médicos e diversas outras aplicações também é proveniente do silício. As fibras óticas são feitas com cristais de quartzo.

 

Cristais de quartzo possuem a propriedade de pulsar mecanicamente de maneira constante ao serem submetidos a correntes elétricas ou de criarem pulsos elétricos ao serem comprimidos. Este fenômeno é responsável pela marcação do tempo na sociedade contemporânea, o que se comprova pela presença de minúsculos cristais de quartzo dentro de nossos relógios digitais.

 

Portanto, memória, inteligência artificial, comunicação, energia, registro do tempo e beleza compõem a essência do cristal de quartzo.

 

A Lapidação CRISTAL DA TERRA 

 

A lapidação Cristal da Terra utiliza técnica por percussão inspirada em pesquisas arqueológicas sobre fabricação de artefatos de pedra pelos nossos antepassados.

 

A originalidade da técnica Cristal da Terra consiste no aperfeiçoamento de tecnologias perdidas tornando possível a escultura de pedras de quartzo lapidadas de maneira análoga à lapidação tradicional sem a perda do caráter selvagem da pedra.

 

Nesse sentido, procura-se gerar uma superfície principal para a entrada e saída de luz de forma a maximizar o brilho natural da pedra.

 

Aplicam-se golpes por percussão em pontos determinados da pedra, desbastando-a progressivamente pela remoção de pequenas lascas, até que se atinjam a forma e o brilho projetados para o núcleo remanescente.

 

O cristal, por mais límpido e perfeito, não se deixa lascar segundo a vontade do artesão. Durante a lapidação a pedra sinaliza aquilo que lhe será permitido e assim se estabelece o diálogo que, eventualmente, resultará numa bela peça.

 

O artesão começa “descascando” porções da pedra com inclusões, fraturas ou tensões ocultas dispostas em torno de um núcleo íntegro cristalino, mantendo sempre uma superfície principal para entrada de luz, denominada mesa.

 

Ao mesmo tempo, forma-se a câmara cônica onde ocorre o jogo de luz.

 

Toda a superfície do quartzo lapidado Cristal da Terra apresenta um brilho intenso e uma aparência molhada, untuosa ao tato.

 

Ao final do processo revela-se a essência mais pura da pedra e a beleza exuberante do cristal.

 

Passo a passo:

 

1 - Produção da superfície principal de entrada de luz (mesa).

 

 

 

2- Lapidação por percussão fina.

3 - Acabamento por desbaste das arestas em rebolo diamantado e furação por equipamento de ultrasom.

Observação: Não há polimento em nenhuma das etapas.